phonenumber list top spammers
phonenumber list top spammers
Twitter Facebook

O telefone toca e você quer saber quem está ligando?

O tellows oferece informações para identificar números de telefone seguros e perigosos denunciados por uma comunidade espalhada no mundo todo.

tellows - a busca reversa para números de telefone

4506652
Comentários da comunidade
323823
Membro registrado
270651867
Solicitações sobre API

Nós classificamos números de telefone de acordo com os registros da comunidade. Eles podem ser seguros, golpes por telefone, ameaças, propaganda, entre outros. Os números registrados são classificados por nível de segurança no tellows score com notas entre 1 e 9. Assim fica fácil decidir se quer atender a ligação ou não.


Notícias do blog tellows



    Quem não conhece essa situação? Seu celular toca e no display aparece um número que você nunca viu antes. Você se pergunta: Devo atender? Quem poderia ser? Você não é a única pessoa com essas perguntas! Por isso nós criamos tellows.com.br - uma base de dados que te ajuda decidir, se você deve atender o telefone ou não. tellows.com.br também oferece uma avaliação de riscos e os dados geográficos de qualquer número. Assim, você pode descobrir de onde vem a ligação.

    Novos números de telefone indesejados

    No tellows, milhares de números de telefone são relatados pela comunidade todos os dias. Aqui você pode encontrar números de telefone que foram relatados pela primeira vez e classificados como indesejáveis.
    1. desconhecidofoi relatado como agência de cobrança com o número de telefone 06634110800

      ...

      06634110800 (Mato Grosso) - ver detalhes e comentários - 1
    2. Android relatou o desconhecido com o número 04130689984 como agência de cobrança

      ...

      04130689984 (Paraná) - ver detalhes e comentários - 1

    Comentários adicionados recentemente

    1. Android relatou o desconhecido com o número 012991685666 como número sério

      Telefone de confiança.

      012991685666 (São Paulo) - ver detalhes e comentários - 1
    2. desconhecidofoi relatado como agência de cobrança com o número de telefone 06634110800

      06634110800 (Mato Grosso) - ver detalhes e comentários - 1
    3. PhM relatou o suposto banco inter com o número 03130034070 como tentativa de golpe

      Cuidado galera. Os caras se passam pelo banco inter no intuito de dizer que houve tentativa de fraude na conta, e tentativa de acesso, e aí vão querer pegar seus dados.

      03130034070 (Minas Gerais) - ver detalhes e comentários - 15

    De onde vêm as informações sobre os números de telefone?

    Na nossa comunidade tellows.com.br todo mundo pode comentar cada número de telefone. As chamadas são classificadas e ordenadas por tipo de chamada. O centro do Tellows é o tellows score - um algoritmo detalhado, que classifica cada número com uma nota para facilitar a decisão de atender ou não. Para coletar muito mais informações sobre os números, nós precisamos da sua ajuda. Com os seus comentários e sua avaliação podemos registrar mais números de telefone.

    Comentários registrados para os números mais buscados

    1. Guilherme J. C. relatou o número 019982670901 como TIM

      absurdo receber inúmeras ligaçoes deste numero diariamente a mais de 30 dias.

      019982670901 (São Paulo) - ver detalhes e comentários - 50
    2. TIM - Operadora de Telefoniafoi relatado como chamada perdida com o número de telefone 021981145533

      021981145533 (Rio de Janeiro) - ver detalhes e comentários - 27
    3. Cianeto relatou o número 01154127314 como 01154127314 bandidos

      Cuidado com as Pessoas que Moram no FacebookCuidado com as Pessoas que Moram no Facebook. É cada vez maior o número de pessoas que cria um mundo fantasioso de ostentação, inveja e marketing pessoal. Faz sentido?

      Não sei você tem a mesma sensação que eu, mas parece haver um contingente cada vez maior de pessoas que “moram” no Facebook. Essa sensação é traduzida em cada vez mais tempo dedicado à rede social e diversos perfis virtuais ideais, verdadeiros modelos de líderes, esposas, maridos, amigos e profissionais.

      Ao criarem a realidade desejada através de fotos, postagens, compartilhamentos e comentários, os moradores do Facebook acabam acreditando na nova versão de suas vidas e passam a se ver dependentes dessa nova imagem gerada. Vivem a emoção de finalmente terem controle de sua vida e fazer dela o melhor que podem, ainda que seja apenas no plano virtual (e de mentira, é claro!).

      Facebook, o país ideal?

      Você já deve ter reparado em como o Brasil apresentado pelos políticos em seus perfis no Facebook é bem diferente daquele em que você vive. Uma maravilha no mundo virtual, mas como fica o dia a dia do lado de fora da janela? Você enxerga tudo o que está sendo dito e compartilhado no Brasil real? Pois é, nem eu!

      Você também já deve ter reparado que a maioria dos seus amigos enaltece o trabalho voluntário e as ações transformadoras de pessoas extraordinárias e suas histórias nas redes sociais, mas nunca participou de alguma iniciativa neste sentido e tampouco doou um agasalho que seja. É mais fácil clicar em “Compartilhar” que compartilhar de fato.

      O que dizer dos vídeos e fotos das comidas experimentadas, da vista da varanda de casa, de cada esquina conhecida e cada instante de um evento ou viagem? Os momentos e experiências são para serem vividos com intensidade, não para serem “jogados na cara dos outros” (ninguém admite que é isso que se pretende, é claro!).

      Lembranças ou “likes”?

      O registro de nossas experiências deveria servir para acionar nossa memória e despertar lembranças vivas daquele instante, mas hoje isso parece superado pelo registro para o puro marketing pessoal (“Eu vou a mais lugares legais que você porque sou livre”) e para despertar a inveja (“Viu só onde e com quem eu estive? Viu como sou feliz?”).

      Alguns dirão que estou exagerando e que ao compartilhar queremos que os outros vejam aquilo que logramos alcançar, tudo com o objetivo nobre de compartilhar nossa felicidade, e só isso! Pode ser, mas por que não optar por primeiro curtir intensamente a felicidade e fixá-la antes na memória para só depois pensar em contá-la para o mundo?

      Fotografias, vídeos, comentários, opiniões, tudo isso agora existe para receber curtidas e compartilhamentos. Ao postar alguma coisa no seu perfil, o adepto do exibicionismo virtual fica voltando a todo instante para contar seus “likes”. Seus momentos e suas experiências – que deveriam trazer prazer pelo simples fato de terem sido vividos – agora geram angústia numa competição por popularidade.

      Se por um lado a facilidade de contato e a manutenção de grupos de interesse é um fantástico benefício das redes sociais, o engajamento presente no virtual parece sempre muito maior que aquele necessário para mudar de verdade as coisas do lado de fora do computador.

      “Curtir” é facil, mas e viver?

      Não surpreende que seja assim, afinal os problemas seguem sendo os mesmos, assim como as pessoas. Arregaçar as mangas e fazer alguma coisa pelo bem comum ou mesmo para sanar uma questão pontual exige muito trabalho, dedicação, persistência e competência. Ficar clicando em “Curtir” e “Compartilhar” e muito mais fácil.

      Arrisco-me a dizer que as redes sociais se tornaram, em muitos casos, uma ferramenta de marketing pessoal e “geração de inveja”, mesmo que este não seja exatamente o objetivo dos moradores do fantástico mundo virtual. O problema, infelizmente, é mais grave de que “apenas” querer se exibir; estamos diante de uma autoimagem distorcida e carente de atenção real.

      O resultado da perigosa relação que envolve baixo autocontrole e muita expectativa acaba sendo o refúgio dentro de uma realidade paralela, ideal (ou surreal?!), que pode ser criada a partir dos perfis, relacionamentos e compartilhamentos nas redes sociais. Quase que como atores, há um grupo enorme de pessoas representando, transmitindo uma imagem absolutamente fantasiosa sobre si mesmo e seus feitos.

      As consequências destas atitudes para o convívio familiar são diversas e perigosas. Dentre elas, cito:

      Problemas financeiros decorrentes do exagero necessário para manter as postagens fantasiosas em dia. Roupa nova a todo instante, viagens e um estilo de vida de mentira implicam gastos excessivos. Infelizmente, a imagem parece ser mais importante que a realidade, o que leva famílias inteiras à ruina financeira na busca por status;Divórcios ou brigas constantes entre quatro paredes. As fotos nas redes sociais são sempre do casal em harmonia, da família curtindo momentos fantásticos ou do cônjuge sarado, mas o dia a dia geralmente é de cobranças e discussões por conta da exposição cada vez maior no mundo virtual. Já vi casais se separarem por conta disso;Amizades superficiais e vazias. É comum que pessoas com interesses comuns se mantenham em contato, mas se estes interesses são superficiais e/ou fúteis, as amizades criadas a partir deles serão igualmente desinteressantes. O círculo vicioso se fecha na medida em que passar tanto tempo online e com essas pessoas passa a ser a atividade principal do indivíduo;Conclusão

      Que fique claro que este texto não é uma crítica ao Facebook ou às redes sociais como um todo. Interpretar o texto de hoje desta forma é simplificar a questão e isentar-se da responsabilidade de viver de verdade a sua vida. A questão central somos nós, cidadãos, pessoas, e como temos agido no universo virtual.

      Conheço muitas pessoas que simplesmente decidiram sair das redes sociais e curtir mais e melhor a vida. Não se arrependeram. Assim como conheço muita gente que usa as redes sociais com o conceito simples de manter contato e conversar com pessoas que moram longe.

      Existem os que equilibram bem seu tempo e são os mesmos online e off-line, embora mantenham seus perfis sempre atualizados e com alguma coisa coerente compartilhada. No final das contas, só existe uma vida a ser vivida e seus desdobramentos, virtuais ou reais, serão reflexos de quem somos e nossas atitudes. Portanto, muito cuidado com as pessoas que moram no Facebook.

      O texto é um convite à reflexão sobre nossos hábitos virtuais e o quanto estamos deixando de fazer para satisfazer expectativas dos outros, decisão essa que costuma cobrar um preço alto. O que você pensa sobre o tema

      01154127314 (São Paulo) - ver detalhes e comentários - 6

    Empresas frequentemente procuradas

    DHL Express Corporate Office em Av. manuel bandeira
    Correio
    Salvatore Ferragamo Duty Free em Rodovia hélio smidt
    Butique
    Accenture em Rua alexandre dumas 2051
    Consultoria empresarial
    St. Andrews Airport Transfer em Smithy rd 23
    Traslado do aeroporto
    NEGATIVA TELEMARKETING em S Paulo
    Cobrança de dívidas
    Radisson Hotel Paulista São Paulo em Alameda santos 85
    Hotel
    DHL Express Gateway em Rodovia santos dumont
    Correio
    Loja de Atendimento DHL Express em Rua carlos willy boehm 98
    Correio
    DeMillus em Av. Lobo Júnior, 1672
    Profissional de serviços de beleza
    Cabaré Scatolon em Avenida Deputado Julio Cesar Paulino Maia 1386
    Cabaré
    Aceitar

    Utilizamos cookies para personalizar nosso conteúdo e anúncios e analisar o tráfego do nosso site. Configurações individuais podem ser feitas em Política de Privacidade Mais informações